EMBALAGEM TIPO "TRÊS PEÇAS | PROCESSO

Informação Técnica

ALIMENTADOR PARA AUTOMATIZAR UMA COSTUREIRA MANUAL DE LATAS OU RECIPIENTES

Descreve a possibilidade de equipar uma costureira manual com um alimentador pneumático, que permite a alimentação automática de corpos e tampas para a costureira. O design deste alimentador é simples, mas confiável e robusto. O seu custo é moderado e pode ser adaptado a qualquer tipo de embalagem.

INTRODUÇÃO

A produção em pequenas séries ainda existe em empresas especializadas em segmentos de mercado de curto prazo. Estes sectores, nos quais predominam as latas com alto valor acrescentado e uma apresentação cuidada, continuam a utilizar máquinas de costura manuais antigas, já que o elevado preço de uma costureira automática não se justifica para estas produções industriais baixas. No entanto, há uma necessidade crescente de reduzir os custos, e a mão-de-obra directa é o segundo item a ser tido em conta no cálculo de custos de um pacote.

Portanto, muitas vezes é uma boa solução equipar estas máquinas de costura antigas, que normalmente são muito robustas e dão uma excelente qualidade de costura, com um alimentador automático, que executa as seguintes tarefas:

a) Alimentar o corpo da lata, que é recebido de um transportador.

Anuncios

b) Alimentar a tampa através de um carregador.

c) Colocar ambos na posição fechada.

d) Ejectar a lata para um transportador de evacuação, uma vez realizada a evacuação.

Este tipo de alimentador está disponível no mercado. Existem oficinas especializadas em automatismos, capazes de os fornecer, seja como standard ou especificamente “à medida” das necessidades do cliente. Mas talvez seja do próprio interesse do fabricante de embalagens fazê-lo, por exemplo, porque ele tem bons mecânicos que podem realizar o trabalho e que têm tempo para fazê-lo durante a estação baixa.

Para situações deste tipo, fornecemos a seguinte descrição de um alimentador como ajuda para a sua construção.

CONSTRUÇÃO

O alimentador é totalmente operado a ar, e sua construção é baseada em uma mesa rotativa acionada pneumaticamente de seis estações. Existem muitos modelos deste tipo de mesas no mercado, por exemplo, a Festo tem-nas. No mesmo eixo vertical desta mesa pneumática, o eixo da mesa de alimentação está diretamente acoplado, ou seja, é uma extensão da mesma.

Esta tabela é composta por:

Uma placa inferior da base A, lisa e fixa, através da qual a base do corpo do recipiente desliza no seu deslocamento circular. É ajustável em altura para ajustá-lo à altura do recipiente. Na área onde é feito o fechamento, tem uma caixa para permitir a passagem da placa de compressão através dela.

2º – Um par de guias externos B, fixos, sob a forma de circunferência, que guiam o corpo da lata no exterior durante a sua viagem.

3º – Uma estrela de 6 estações C, montada a meia altura no eixo principal, que gira transportando o contentor, passo a passo em cada estação.

4º – Um alimentador inferior D, montado sobre uma placa superior fixa. Este alimentador é composto por três brocas sincronizadas que giram intermitentemente, acionadas por um cilindro pneumático. A pilha de fundos repousa sobre estes três trados que os separam um a um. O sinal de acionamento do cilindro é dado por um sensor que detecta a presença de um corpo na posição de alimentação inferior. Em outras palavras, o alimentador trabalha com base no princípio “sem corpo – sem fundo”.

5º – Toda a unidade é montada sobre uma estrutura E, com pernas que podem ser equipadas com rodas com sistema de bloqueio.

6º – Na estação seguinte à estação de fechamento, o recipiente é expulso com a ajuda de um cilindro pneumático.

7º – É possível mudar o formato do recipiente, renovando a estrela C e ajustando o alimentador inferior D.

Veja mais fotos abaixo deste alimentador.

O ciclo de trabalho, – seguindo o esquema X -, é o seguinte:

1º – Estação de alimentação do corpo, 180º a partir da posição de fechamento. Os corpos chegam por meio de um transportador. Um sensor detecta a presença do corpo alimentado na roda estelar e dá uma ordem de rotação de 60º à mesa.

2º – Estação de alimentação inferior, que é ativada quando um sensor detecta a presença de um corpo bem posicionado. Quando o fundo cai, a estrela gira 60º.

Anuncios

3º – Estação de verificação de presença de fundo. Um sensor detecta a presença do fundo no corpo. Se houver um fundo corretamente posicionado, uma nova volta de 60º da mesa é feita para posicionar o conjunto corpo-fundo na posição de fechamento.

4º – Uma vez feito o fechamento, uma nova volta de 60º coloca o recipiente na estação de ejeção em direção ao transportador de saída. Se, devido à distribuição do equipamento, for interessante atrasar a ejecção para a estação seguinte, é possível fazê-lo, uma vez que está vazio.

Como a seqüência de controle pode ser a parte mais complexa do trabalho, o fornecedor do equipamento pneumático – que muitas vezes tem especialistas – pode ser chamado para determinar a seqüência e a lista de material apropriada.

Voltar para processar Latas Mundiais

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir chat